domingo, 15 de fevereiro de 2015

Sal iodado, uma escolha sensata e uma massa bem rápida

O iodo é um micronutriente que precisamos para o bom funcionamento do nosso organismo. A tiroide, que é uma glândula que se situa na zona do pescoço, necessita deste composto para produzir hormonas muito importantes para regular todo o metabolismo do nosso corpo. Não é necessário em quantidades muito elevadas, bastam 0,00015 g por dia para um adulto, um pouco menos para as crianças e um pouco mais para as grávidas e aleitantes. Quantidades demasiado baixas comprometem a formação das hormonas e podem levar a problemas de bócio, hipotiroidismo e nas grávidas as consequências manifestam-se na formação do feto.

Onde vamos buscar o iodo? O nosso organismo não o consegue produzir portanto terá de ser fornecido pelos alimentos. Os alimentos mais ricos em iodo são os peixes e crustáceos. Os vegetais, a carne, o leite e derivados também o contêm em quantidades que dependem da quantidade de iodo que existe nos solos e na água utilizada na produção dos hortícolas e da alimentação dos animais. 

Os últimos estudos em Portugal mostram alguma preocupação pois as populações estudadas revelaram níveis de iodo abaixo nos valores recomendados. Como podemos contrariar esta situação? Muito fácil e pouco dispendioso. Em vez de utilizar sal "normal" optar por sal iodado. É um pouco mais caro mas nada de extrardinário: 1Kg de sal marinho iodado, de marca branca, custa menos de 1€. Cá em casa já há muito tempo que só uso deste sal para temperar. É tão simples e é quanto basta para garantirmos a dose diária de iodo de que precisamos.

E aqui fica uma receitinha bem rápida mas não menos saborosa:

  
Massa com alho françês, cogumelos e bacon à carbonara:

1 alho francês
250 g cogumelos frescos Pleurotos ou outra espécie
3 colh. sopa de azeite
150 g bacon
400 g de massa (espirais, penne ou outra)
3 ovos
100 g queijo mozarella
sal iodado q.b.

Cozer a massa em água abundante temperada com sal.
Num tacho grande colocar os cogumelos partidos em bocados o alho françês em rodelas (só a parte branca) e o azeite. Deixar cozinhar durante cerca de 10 minutos. Adicionar o bacon cortado às tirinhas e deixar mais 5 minutos. Acrescentar a massa escorrida.
Bater os ovos com 1/2 chávena de água de cozer a massa e o queijo.
Na altura de servir, aquecer bem o estufado com a massa mexendo bem para aquecer de forma uniforme. Desligar o lume, adicionar os ovos e mexer bem. Servir de imediato.


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Prendas de Natal saudáveis e saborosas - porque não?

Tenho feito o jantar todos os dias e o almoço também! O que tem faltado é tempo para partilhar aqui o que têm sido os menus. Como sabem não costumo publicar só as receitas. O que mais satisfação me dá é mesmo partilhar informação sobre alimentação saudável e ensinar a fazer as melhores escolhas. A receita é o "chamariz".

Os menus, como sempre, têm sido simples. Com a chegada do frio não pode faltar a sopa quentinha. Não tenho receitas de sopas. Têm sempre batata (pouca - só para ficar mais aveludada e ajudar a ligar os outros ingredientes), 1 cebola, um pouco de leguminosas (feijão, grão, ervilhas, favas - esta parte é segredo porque oficialmente não têm nada disto) e mais 3 ou 4 vegetais: o que houver no frigorífico, o que estiver em promoção no supermercado ou o que encomendei no cabaz semanal biológico. Pode ser curgete, abóbora, chuchu, aipo, beterraba, couve flor, feijão verde, cenoura, brócolos, couve, etc. Um fio de azeite crú no final e a primeira parte da refeição está pronta.

O blogue não tem sido a minha prioridade e, enquanto não terminar os ensaios do doutoramento, não consigo ser mais assídua nas publicações, mas vão passando por cá que não o vou abandonar.

E porque o Natal se está a aproximar a toda a velocidade e as prendas de Natal podem ser saudáveis e saborosas (e mais económicas) deixo o link para uma publicação da APN.

http://www.apn.org.pt/xFiles/scContentDeployer_pt/docs/doc2196.pdf

Tem ótimas ideias e o Natal / Ano Novo não tem de ser a época do ano que terminamos com uns quilitos a mais. Dê uma prenda a si próprio(a) - SAÚDE.

E deixo também uma canção que eu decidi agora que é uma canção de Natal / Ano Novo. Porque não?

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Um clássico COM mas que parece SEM

- Mãe, o que é o jantar?
- Sopa de legumes e bacalhau à Brás com salada de alface e tomate.
- Bacalhau? Não gosto do teu bacalhau à Brás, gosto mais do da escola.
- Porquê? O que é que tem o bacalhau à Brás da escola que o meu não tem?
- O da escola não tem bacalhau e o teu tem muito bacalhau. Não gosto de bacalhau.
- Pois, mas hoje é bacalhau à Brás. Se não gostas comes menos...

Esta foi a conversa da última vez que fiz bacalhau à Brás mas não se vai repetir, garanto, pois agora já sei fazer bacalhau à Brás com bacalhau mas que parece bacalhau à Brás sem bacalhau.

Passo a explicar:


Bacalhau à Brás:

1 cebola média,
2 dentes de alho
2 colh. sopa de azeite,
cerca de 400 g de bacalhau sem peles e espinhas,
160 g de batata frita palha
4 ovos,
3 colheres de sopa de leite,
1 molho de salsa,
sal q.b.

Picar a cebola e os dentes de alho bem picadinhos, colocar numa frigideira grande antiaderente com o azeite e deixar fritar um pouco até a cebola estar translúcida. Adicionar o bacalhau desfiado e meia chávena de água. Mexer com colher desfazendo o bacalhau à medida que vai cozendo. A água vai facilitar a cozedura do bacalhau ficando bem desfeitinho sem ficar fibroso pois este é um dos problemas do bacalhau.

Ao mesmo tempo colocar água a ferver (cerca de 1,5 l) num recipiente ou na chaleira. Colocar as batatas fritas num escorredor de legumes e regar as batatas fritas com a água a ferver. Deixar escorrer bem e evaporar a água. Esta "lavagem" vai retirar sal em excesso às batatas e vai também arrastar alguma gordura que as batatas absorveram durante a fritura. Esta simples operação vai tornar o nosso prato mais saudável: menos calórico e menos rico em gorduras más.
 
Quando a água tiver evaporado e o bacalhau se apresentar bem desfeitinho, adicionar as batatas e envolver. Numa taça bater os ovos com o leite e com a salsa picadinha. Adicionar à mistura de batata e bacalhau e mexer para misturar e coagular os ovos. Retificar de sal, se necessário. Pode deixar mais ou menos cozinhado conforme o gosto. Para as crianças pequenas convém deixar cozinhar bem os ovos pois assim garantimos que não são veículo de microrganismos patogénicos. Para os mais crescidos, que já têm mais defesas, pode deixar mais cremoso e húmido.

Resultado final: 

- Este bacalhau parece o da escola... não puseste bacalhau...




sábado, 25 de outubro de 2014

Dia mundial das massas e um e-book cheio de informação e receitas

Hoje comemora-se o Dia Mundial das Massas e não queria deixar de assinalar esta data pois as massas são presença obrigatória numa alimentação saudável e diversificada. Para assinalar este dia a Associação Portuguesa dos Nutricionistas lançou um e-book sobre massas alimentícias, aqui vai o link, é só clicar na imagem


Boas massadas e não deixem de espreitar os outros e-books que a APN tem publicado no site.